As quatro grandes tendências mundiais de cibersegurança para 2019

Portugal abaixo da média internacional na deteção de quebras de segurança

 

No Microsoft Security Intelligent Report foram apresentadas as principais tendências nacionais e internacionais de Cibersegurança.

As principais tendências mundiais de cibersegurança para 2019 foram identificadas no documento elaborado por especialistas em segurança de todo o mundo, que utilizam os serviços cloud da Microsoft, assim como da análise de tendências e sinais, resultado da vasta quantidade de dados que passa pelos serviços da tecnológica.

 

Conheça o novo panorama de segurança digital

  • Ataques de ransomware - consistem num software nocivo que restringe o acesso ao sistema. Infetado com uma espécie de bloqueio, cobra um resgate para que o acesso possa ser restabelecido. Caso o resgate não seja pago os arquivos podem ser perdidos ou publicados;
  • Mineração de criptomoedas – este tipo de ataque traduz-se na exploração remota de computadores para mineração moedas digitais (projetadas para serem transferidas entre pessoas em transações virtuais anónimas).
  • Cadeias de abastecimento de software - processo que assenta na empresa, no fornecedor e no cliente e que consiste na gestão dos produtos e da comunicação entre eles;
  • Phishing – utilizado para obter dados confidenciais de utilizadores, sendo geralmente acompanhado por mensagens de 'spam', enviadas para vários utilizadores. Este continua a ser o método de ataque favorito.

 

No caso de Portugal

No que diz respeito à deteção de quebras de segurança informática online, Portugal acompanha os indicadores, porém, continua a ficar “ligeiramente abaixo da média internacional”. Excecionalmente, em relação à identificação de episódios de mineração de criptomoedas, Portugal encontra-se acima da média.

 

Soluções apresentadas

Para poder ajudar os interessados a tirar o melhor partido dos mecanismos de proteção do Microsoft 365, nomeadamente, através da identificação de riscos, do envio de alertas e da definição de ações para fazer face às ameaças a Microsoft apresenta o Microsoft Azure Sentinel e o Microsoft Threat Experts.

 

Microsoft Azure Sentinel

Na sequência deste estudo surge o Microsoft Azure Sentinel, o primeiro Security Information and Event Manager (SIEM) construído numa plataforma cloud.

Este software é um conjunto de serviços cloud em expansão permanente que ajuda a sua organização a enfrentar os desafios empresariais. Uma solução que protege toda a organização, identificando e parando ameaças antes que estas causem danos.

Como está alojado em Azure, a solução tira partido da escalabilidade e velocidade ilimitada da cloud, que permite aos utilizadores automatizar 80% das tarefas mais comuns, ficando assim libertos para concentrar os seus esforços em segurança e não em servidores.

É a liberdade para criar, gerir e implementar aplicações numa rede global em grande escala através das suas ferramentas preferidas.

 

Vantagens

  • Produtivo;
  • Híbrido;
  • Inteligente;
  • Fiável.

 

Microsoft Threat Experts

O Microsoft Threat Experts é um serviço integrado no Windows Defender ATP, que oferece aos clientes a possibilidade de complementarem as suas soluções de segurança com o contributo de especialistas da Microsoft, de forma a ampliar a capacidade de sua equipe de centro de operações de segurança.

Dessa forma, a Microsoft vai detetar nos seus dados as ameaças mais importantes nos seus dados, como invasões e ciberespionagem, ajudando sua equipa a anteferir os riscos mais importantes e responder rapidamente.

O serviço também oferece um novo botão que permite à sua empresa enviar perguntas diretamente à equipa da Microsoft.

 

Estas conclusões constam da 24ª edição do Microsoft Security Intelligent Report (SIR), na qual a empresa identifica as ameaças do ano transato e as melhores práticas que decorrem das lições aprendidas com episódios passados, como o do WannaCry que afetou Portugal em 2017 e infetou cerca de 12 mil computadores.

 

Não corra riscos, entre em contacto!

 

Fontes:

Microsoft (04/03/2019)

TSF (04/03/2019 - 16:06)